Qual a diferença entre óleos essenciais e essências?


Quando se fala em aromaterapia, muitas pessoas podem se questionar qual seria a principal diferença entre os óleos essenciais e aromatizadores tradicionais, por exemplo. Que nada mais um que um tipo de essência. Apesar de ambos terem cheiros bem agradáveis, eles se diferem entre si. 

Óleos essenciais versus essências 

A principal diferença entre ambos está na sua composição. Os óleos essenciais são 100% naturais e possuem um único componente na sua fabricação. O seu processo de criação ocorre diretamente da extração de plantas e até frutas. Muito além do aroma, essas substâncias têm o poder de tratamento para problemas físicos e mentais. Já as essências são apenas produtos com cheiros agradáveis, mas com componentes sintéticos, produzidos em laboratórios e que não possuem funções de "cura" e, em alguns casos podem, inclusive, causar sensibilidade ou irritação na pele do usuário. 

Os benefícios dos óleos essenciais 

Como citamos logo acima, os óleos essenciais têm poder de cura, de tratamento e essa capacidade vai depender da planta ao qual foi extraído a substância, mas, em sua grande maioria, eles auxiliam no combate do estresse, ansiedade, depressão, cansaço mental, insônia, além de estimular a produção de hormônios. 

Um exemplo bem famoso e que já era conhecido antes da aromaterapia é a lavanda. Seu óleo detém propriedades que ajudam o usuário a ter uma boa noite de sono com apenas algumas gotas do líquido em seu travesseiro, por exemplo. 

Contudo, os benefícios desses óleos vão além dos problemas mentais, eles também podem ser usados para tratar mazelas físicas como doenças respiratórias e até sintomas da menopausa. Há ainda quem os utilize para aromatizar shampoos, cremes, hidratantes, e alguns podem substituir até mesmo os desodorantes. 

 

O único adendo é que mesmo sendo natural, fique atento às instruções de uso, pois em casos onde o óleo essencial tenha contado direto com a pele em grandes quantidades, isso pode provocar algum tipo de alergia. Sendo assim, é necessário alguma cautela.

Como escolher o óleo essencial perfeito 

Bom, o óleo essencial perfeito vai depender do tipo de problema que a pessoa pretende resolver. Se deseja tratar estresse, ansiedade ou insônia, a lavanda é uma boa opção. 

Agora, se precisa se concentrar nas tarefas do dia a dia, a melhor alternativa é o de limão ou o de alecrim

Se for caso de tratar algo físico, como doenças respiratórias, você pode optar entre os óleos essenciais de Capim Limão, Eucalipto Glóbulos e Tea Tree

 

Como usar o óleo essencial 

Isso também vai depender do óleo escolhido, mas algumas opções são: pingar algumas gotas em um tecido - ou no travesseiro - e inalar algumas vezes ao longo do dia. Uma outra opção é usar esse mesmo pano, colocar dentro de uma xícara e deixá-lo em um cômodo de sua escolha. É ideal para quem quer aromatizar o escritório, por exemplo. 

Você pode também adquirir um o difusor. Com este você tem mais controle ao espalhar a substância em um ambiente, assim como a intensidade do aroma. O legal desse aparelho, além de deixar o local com um cheiro mais agradável, é que alguns vem com luzes coloridas. Estes utilizam a cromoterapia em conjunto com a aromaterapia.

Por fim, como já citamos anteriormente, a substância pode ser misturada com itens que você utiliza no dia a dia, como creme hidratante corporal, shampoo, condicionador e até óleos de massagem, sempre neutros e puros.

E você, já sabia da diferença entre óleos essenciais e essências? Qual dos dois você prefere? Nos conte nos comentários e não esqueça de compartilhar com seus amigos. Aproveite a visita para garantir o seu óleo essencial em nosso site. Até a próxima.

 


1 comentário


  • Heidy Tormin

    Tenho interesse em saber mais


Deixe um comentário


Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados



Carregando Ambiente Seguro